Para aceder a dicas para o sucesso veja a notícia completa

Para garantir que atinge os seus objetivos no leilão em que vai participar deve fazer uma análise prévia da sua capacidade de resposta, considerando por exemplo valores mínimos de licitação e, se possível, analisando as empresas com as quais irá competir. Contudo, e mesmo tendo a lição bem estudada, um leilão pode sair fora do seu controlo. Leia as seguintes dicas e assegure o seu sucesso:

 

Garanta que consegue aceder e que não é impedido por problemas tecnicos

Na maioria dos casos a receção do convite para o leilão é feita com alguma antecedência, permitindo aos participantes garantir que têm as condições necessárias para poderem participar. Garanta que cumpre todos os requisitos técnicos para aceder à plataforma e teste o acesso previamente. Esperar para testar o acesso momentos antes do leilão pode tornar-se fatal. Caso encontre algum problema fale com a entidade organizadora do leilão e garanta que o mesmo é resolvido até à data da realização, contudo não deixe de re-testar o acesso.

Para evitar problemas no dia do leilão, aceda à plataforma 15 minutos antes para garantir que está tudo conforme previsto. Caso encontre problemas tem uma margem de manobra para reporta-los.

 

Iniciar um leilão é tão importante como ganha-lo

Começar corretamente um leilão é quase tão importante como conseguir termina-lo com a licitação vencedora.

Os participantes tendem a optar por uma de três estratégias para o valor de abertura de licitações:

1. Não licitar inicialmente e esperar para ver o comportamento dos restantes participantes
Decidir não tomar nenhuma decisão nunca é bom neste tipo de eventos. O leilão pode ser encarado como um jogo de estratégia, no qual mais vale garantir que a estratégia seguida é a nossa e nunca deixar que sejam os outros jogadores a defini-la. Ao se abster de licitar no inicio de um leilão pode rapidamente perder o controlo do valor da licitação, podendo ficar impedido de manter a sua participação por falta de licitações ou pelo valor ter ultrapassado o seu valor mínimo mais rápido do que esperava.

2. Licitar um valor baixo
Apesar de ser uma opção ousada e agressiva pode tornar-se ingloria pois retira-lhe margem de manobra para as licitações seguintes. Não se esqueça que um leilão não deverá ser encarado como um sprint mas sim como uma maratona, onde a paciência e reflexão podem garantir-lhe um bom resultado final.

Se decide licitar um valor demasiado baixo apenas porque acha que os restantes licitadores não o podem acompanhar pode correr o risco de se enganar. Se desconhece a estratégia dos outros participantes nunca ponha em risco a sua.

3. Licitar um valor alto
Sabemos que não licitar poderá ser perigoso, tal como licitar um valor demasiado baixo pelo que nos resta a licitação com um valor alto. Tal como no poker em que não queremos passar demasiada informação, uma licitação alta ou com um decremento reduzido face ao valor de partida demonstra ser a decisão mais acertada. Por um lado, licitar no início permite-lhe marcar uma posição face aos restantes participantes “está interessado e quer ganhar”, por outro lado consegue marcar o ritmo das licitações, uma vez que as segundas e terceiras licitações costumam balizar-se pelo valor da primeira.

 

Acompanhe as licitações, SEMPRE!

Apesar de não ser politicamente correto afirmá-lo, a estratégia de “bullying” nas licitações tem resultados positivos. Assim que perder o primeiro lugar licite, quase como se fosse uma configuração automática a fazê-lo. Este método de “intimidação” passa uma forte mensagem para os restantes licitadores, uma mensagem de que quer ganhar e que o vai fazer custe o que custar. Normalmente ao fim de duas ou três licitações a sua concorrência deixa de licitar.

 

Diz-me como licitas dir-te-ei como pensas...

A melhor forma de garantir que tomamos as decisões corretas é antecipar os possíveis comportamentos dos que nos rodeiam e nos leilões funciona da mesma forma. Todos nós temos, uns mais outros menos, comportamentos padrão que permitem aos que nos rodeiam prever as nossas ações futura. Tente prever a lógica de licitação dos restantes participantes, se o conseguir pode planear as suas licitações.

A maioria dos leilões utilizam extensões de tempo, pelo que não fará sentido esperar pelos últimos segundos para licitar, uma vez que corre o risco de que a sua licitação não seja aceite.

Sabia que:

1. Os licitadores têm tendencia para licitar números “redondos” ou inteiros

2. Grande parte da ação do leilão inicia-se nos últimos 15 minutos de cada evento

3. À medida que o tempo para o final do leilão se aproxima as licitações vão-se tornando cada vez mais pequenas assumindo, na maior parte dos casos, o valor mínimo de licitação

4. Os participantes têm tendencia a licitar nos segundos finais do leilão, ficando na expetativa que os restantes não vão ter tempo para contra-licitar

 

Há mar e mar... saber licitar e parar...

Já referimos a importância da preparação do leilão e de conhecer os valores mínimos para se ir a jogo, contudo no calor do momento muitos são aqueles que licitam abaixo deste valor, sendo incapazes de cumprir com o valor posteriormente. Em alguns negócios os leilões são apenas mais uma ronda de negociação, se ultrapassar o seu valor mínimo perderá a sua margem de manobra para negociações posteriores.

Garanta que nunca ultrapassa o seu valor mínimo pois porá em causa a sua prestação de serviço e a qualidade do mesmo, sabendo que o incumprimento do valor poderá reservar-lhe um lugar na lista negra deste cliente para negócios futuros.